17 de agosto de 2020
Não seja multitarefas!

by:Caffeine Academy

O que você vai ler aqui:

Sim, você é capaz de fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Por exemplo, digitar no notebook e falar ao telefone ou, ainda, assistir a um filme enquanto rola o feed do Instagram.

O que você não consegue, na verdade, é se concentrar em duas tarefas. Inclusive, esse é um dos hábitos da vida moderna incrivelmente ruins para saúde do seu cérebro. A multitarefa faz com que seu cérebro fique alternando a atenção entre as atividades, aumentando a chance de perder o foco.

Percebe o problema? Além disso, ser multitarefas aumenta a produção do cortisol e da adrenalina, hormônios que desencadeiam as reações de “luta” ou “fuga”.. Esse dois podem super estimular o cérebro e provocar uma névoa mental ou pensamento embaralhado.

Se há tantos malefícios, por que existe a crença de que ser multitarefas é bom?

Essa narrativa é bastante reforçada no mercado de trabalho. Isso porque, muitas empresas buscam funcionários capazes de realizar várias tarefas simultaneamente e sem distrações, mas, talvez, não reconheçam os impactos na produtividade, que pode ser reduzida em até 40%!

Como o cérebro processo as tarefas

No cérebro, as multitarefas são gerenciadas por funções executivas. Elas também controlam e gerenciam os processos cognitivos e determinam como, quando e em que ordem determinadas tarefas são realizadas.

De acordo com Meyer, Evans e Rubinstein, autores de uma pesquisa sobre o tema, intitulada de “Executive control of cognitive processes in task switching”, existem duas etapas no processo de controle executivo:

  • Mudança de meta: decidir fazer uma coisa em vez da outra;
  • Ativação de função: alternância das regras da tarefa anterior para regras da nova tarefa.

Passar por elas pode adicionar alguns décimos de segundo, mas há um aumento significativo quando as pessoas alternam repetidamente. Isso não é um grande problema quando você digita no notebook e fala ao celular ao mesmo tempo.

No entanto, se você estiver em situações que a segurança ou a produtividade são importantes, como dirigir falando ao celular, mínimas frações de tempo podem ser críticas. Executar, especificamente, essas duas atividades simultaneamente aumenta em 400% o risco de acidentes de trânsito.

 

Quais os efeitos da multitarefa na produtividade?

Embora considerada uma “habilidade” difícil para algumas pessoas, outras afirmam veemente que conseguem realizar multitarefas de forma primorosa. Um estudo com esse grupo, nomeados de multitarefas pesados, constatou que eles não são tão bons assim...

Os resultados mostra que essas pessoas são piores em separar informações relevantes a partir de detalhes irrelevantes, além de serem muito menos organizados mentalmente.

Post relacionado: Estratégias para gerir seu tempo que realmente funcionam

O estudo também sugere que o impacto negativo da multitarefa crônica e pesada pode ser bastante prejudicial para adolescentes. Nessa idade, em particular, o cérebro está ocupado formando importantes conexões neurais.

Dessa forma, uma atenção dispersa e constantemente distraída por diferentes fluxos de informação pode ter um impacto negativo, a longo prazo, na forma como essas conexões se formam. Isso também reforça a importância de estimular bons hábitos logo na infância.

Meyer sugere que a produtividade pode ser reduzida em até 40% pelos bloqueios mentais  - aquela névoa que mencionamos - quando se alternam tarefas. Então, se você busca resultados mais rápidos e melhores, no trabalho e também em projetos pessoais, existem outros caminhos para se chegar lá, e não é sendo multitarefas.

Aqui vão algumas dicas:

  • Tente limitar o número de coisas que você faz para apenas duas tarefas;
  • Aplique a "regra dos 20 minutos". Em vez de alternar repetidamente entre tarefas, tente dedicar sua atenção em uma por 20 minutos, depois mude para outra;
  • Busque técnicas de priorização de tarefas. O ideal é montar uma lista com objetivos e organizá-los por prioridades.
Autor:
Caffeine Academy